Dez dicas para sua página carregar mais rápido… você ganha até 4 segundos

Vi essas dicas num site e percebi umas bem simples, como a dica 7 que deixamos de fazer com muita frequência:

Os usuários que navegam pela web geralmente abandonam sites muito lentos e que levam mais do que alguns segundos para carregar. Agora uma pesquisa recente afirma que quatro segundos são o tempo máximo que um comprador online ou apenas um simples navegante esperam até que uma webpage carregue, abandonando o site logo após.

Velocidade é essencial – Já que “4 segundos” decidem uma venda online, os websites “mais rápidos” conseguem reter um tráfego maior e aumentar seus lucros.
Sendo assim, blogueiros e proprietários de site, há muitas maneiras de reduzirmos o tempo de carregamento da página e proporcionar uma navegação mais confortável aos nossos visitantes.

Vamos dar uma olhada em algumas dicas de como tornar nossas páginas mais rápidas:

1. Altere todo o código HTML dentro das tags

para arquivos CSS externos. Estilos codificados nas próprias webpages tornam o site tumultuado já que são baixados toda vez que alguém acessa a página, enquanto um arquivo CSS externo é baixado apenas uma única vez no computador do visitante.

2. Diga não à objetos Macromedia Flash ou objetos Quicktime que rodam automáticos quando a página é carregada. Vídeos do Youtube, que iniciam apenas quando o botão Play é pressionado, podem ser uma boa alternativa.

3. Se suas páginas possuem muito código Javascript, altere todo o código para um arquivo externo que será carregado uma única vez.

4. Divida as páginas com excesso de conteúdo em páginas menores. Até os mecanismos de busca preferem essas páginas.

5. Grandes quantidades de imagens devem ser evitadas em webpages. Mas se você não puder ficar sem as imagens, seria bom dividí-las em imagens menores, evitando sempre as de grandes dimensões.

6. Diga NÃO à tranqueiras como chat, abas, previsão do tempo, mural, etc. Essas coisas não agregam valor ao seu site e aumentam em muito o tempo de carregamento da página.

7. Atributos simples de largura [width] e altura [height] na tag da imagem otimizam significantemente sua exibição já que os navegadores leêm as dimensões das imagens mesmo antes de as baixar do servidor onde estão hospedadas e exibí-las na página.

8. Faça a compressão de seus gráficos usando qualquer um dos utilitários de edição gratuitos, como Irfanview. Uma imagem jpeg com 60% de qualidade após comprimida é suficiente.

9. Limpe manualmente seu HTML – se você tiver montado o template do blog no Macromedia Dreamweaver ou Microsoft Frontpage, esses programas devem ter adicionado algumas tags HTML extra e outras informações que você provavelmente não precisará. Abra a template no Notepad e delete o que for desnecessário.

10. Fique bem longe de tabelas HTML (especialmente as aninhadas). Elas confundem o browser e complicam o carregamento da página. Use layers CSS.

fonte: http://recantodasletras.uol.com.br/visualizar.php?idt=495046

Lista de propriedades para uso com System.getProperty

Para ober informações sobre o sistema e até mesmo sua aplicação, um recurso muito interessante é o comando System.getProperty(“nome da propriedade”)
Segue abaixo lista com as propriedades disponíveis:

Key Description of Associated Value
java.version Java Runtime Environment version
java.vendor Java Runtime Environment vendor
java.vendor.url Java vendor URL
java.home Java installation directory
java.vm.specification.version Java Virtual Machine specification version
java.vm.specification.vendor Java Virtual Machine specification vendor
java.vm.specification.name Java Virtual Machine specification name
java.vm.version Java Virtual Machine implementation version
java.vm.vendor Java Virtual Machine implementation vendor
java.vm.name Java Virtual Machine implementation name
java.specification.version Java Runtime Environment specification version
java.specification.vendor Java Runtime Environment specification vendor
java.specification.name Java Runtime Environment specification name
java.class.version Java class format version number
java.class.path Java class path
java.library.path List of paths to search when loading libraries
java.io.tmpdir Default temp file path
java.compiler Name of JIT compiler to use
java.ext.dirs Path of extension directory or directories
os.name Operating system name
os.arch Operating system architecture
os.version Operating system version
file.separator File separator (“/” on UNIX)
path.separator Path separator (“:” on UNIX)
line.separator Line separator (“\n” on UNIX)
user.name User’s account name
user.home User’s home directory
user.dir User’s current working directory

Aqui o resultado delas:

java.version: 1.5.0_07
java.vendor: Sun Microsystems Inc.
java.vendor.url: http://java.sun.com/
java.home: /usr/local/jdk1.5.0_07/jre
java.vm.specification.version: 1.0
java.vm.specification.vendor: Sun Microsystems Inc.
java.vm.specification.name: Java Virtual Machine Specification
java.vm.version: 1.5.0_07-b03
java.vm.vendor: Sun Microsystems Inc.
java.vm.name: Java HotSpot(TM) Client VM
java.specification.version: 1.5
java.specification.vendor: Sun Microsystems Inc.
java.specification.name: Java Platform API Specification
java.class.version: 49.0
java.class.path: /workspace/Atualizador/bin:/workspace/Atualizador/lib/postgresql-jdbc.jar
java.library.path: /usr/local/jdk1.5.0_07/jre/lib/
java.io.tmpdir: /tmp
java.compiler: null
java.ext.dirs: /usr/local/jdk1.5.0_07/jre/lib/ext
os.name: Linux
os.arch: i386
os.version: 2.6.20-15-generic
file.separator: /
path.separator: :
line.separator:
user.name: igo
user.home: /home/igo
user.dir: /workspace/Atualizador

Instalação e configuração do PostgreSQL no linux

Receita de bolo para instalação e configuração do PostgreSQL 8.1 no linux.

1º Passo – Download

ftp://ftp.br.postgresql.org/pub/mirrors/postgresql/source/v8.1.3/postgresql-8.1.3.tar.bz2

2º Passo – Descompacte o pacote

$ tar -xjvf postgresql-8.1.3.tar.bz2

3º Passo – Acesse o diretório

$ cd postgresql-8.1.3

4º Passo – Configuração e compilação

$ ./configure –prefix=/usr/local/postgres –bindir=/usr/bin –sysconfdir=/etc/postgres
$ make

5º Passo – Instalação

$ su
$ make install

6º Passo – Criando grupo e usuário

$ groupadd postgres
$ adduser postgres -g postgres

7º Passo – Criando diretório para os dados

$ mkdir /usr/local/postgres/data
$ chown postgres.postgres /usr/local/postgres/data

8º Passo – Inicializando o banco

$ su – postgres
$ initdb -D /usr/local/postgres/data

9º Passo – Rodando o postgres em segundo plano, gravando logs

$ postmaster -D /usr/local/postgres/data >> /usr/local/postgres/data/logfile &

10º Passo – Testando

$ psql template1 postgres

Caso tenha conectado digite \q para sair.

11º Passo – Copiando arquivo de inicialização

Vá ao diretório onde o PostgeSQL foi descompactado e copie o arquivo chamado “linux” que esta na pasta ./contrib/start-scripts para /etc/init.d/ renomeando para postgresql dando permissão para execução.

$ su – root
$ mv ./contrib/start-scripts/linux /etc/init.d/postgresql
$ chmod +x /etc/init.d/postgresql

12º Passo – Configurando o arquivo

  • Abra o arquivo no editor de texto
  • Edite a linha 32 trocando seu conteúdo de prefix=/usr/local/pgsql para prefix=/usr/local/postgres
  • Edite a linha 35 trocando seu conteúdo de PGDATA=”/usr/local/pgsql/data” para PGDATA=”/usr/local/postgres/data”
  • Edite a linha 60 trocando seu conteúdo de DAEMON=”$prefix/bin/postmaster” para DAEMON=”/usr/bin/postmaster”
  • Edite a linha 63 trocando seu conteúdo de PGCTL=”$prefix/bin/pg_ctl” para PGCTL=”/usr/bin/pg_ctl”
  • Salve o arquivo

13º Passo – Testando o arquivo

Ainda como root digite os seguintes comando para verificar se o arquivo esta correto:

$ /etc/init.d/postgresql status
$ /etc/init.d/postgresql stop
$ /etc/init.d/postgresql start
$ /etc/init.d/postgresql restart

14º Passo – Iniciando automaticamente

Edite o aqrquivo /etc/rc.local adicionando a seguinte linha:
/etc/init.d/postgresql start

15º Passo – Testando novamente

Agora basta reinicar a sessão e repetir o 10º Passo.

Obs: Caso tenha problemas na instalação verifique se há um compilador C instalado corretamente.

Essa não pode passar em branco!

Este post não poderia ser sobre um assunto melhor.

Olhe qual minha surpresa ao acessar hoje o site O Globo online, ao olhar pra o canto inferior direto me deparo com a enquete da imagem abaixo.


Por favor, se a enquete ainda estiver no ar votem “Não” e mostrem que é possível participar de uma enquete dessas sem “usar a internet”.