Instalação e configuração do PostgreSQL no linux

No primeiro post de 2009 estou recuperando do meu antigo blog uma receita de bolo para instalação e configuração do PostgreSQL 8.2 no linux. A versão atual, nesse momento a 8.3, não suporta mais a codificação latin1 mais conhecida como ISO-8859-1.

1º Passo – Download

ftp.postgresql.org/pub/source/v8.2.11/postgresql-8.2.11.tar.gz

2º Passo – Descompacte o pacote

$ tar -zxvf postgresql-8.2.11.tar.gz

3º Passo – Acesse o diretório

$ cd postgresql-8.2.11

4º Passo – Configuração e compilação

$ ./configure –prefix=/usr/local/postgres –bindir=/usr/bin –sysconfdir=/etc/postgres
$ make

5º Passo – Instalação

$ su
$ make install

6º Passo – Criando grupo e usuário

$ groupadd postgres
$ adduser postgres -g postgres

7º Passo – Criando diretório para os dados

$ mkdir /usr/local/postgres/data
$ chown postgres.postgres /usr/local/postgres/data

8º Passo – Inicializando o banco

$ su – postgres
$ initdb -D /usr/local/postgres/data

9º Passo – Rodando o postgres em segundo plano, gravando logs

$ postmaster -D /usr/local/postgres/data >> /usr/local/postgres/data/logfile &

10º Passo – Testando

$ psql template1 postgres

Caso tenha conectado digite \q para sair.

11º Passo – Copiando arquivo de inicialização

Vá ao diretório onde o PostgeSQL foi descompactado e copie o arquivo chamado “linux” que esta na pasta ./contrib/start-scripts para /etc/init.d/ renomeando para postgresql dando permissão para execução.

$ su – root
$ mv ./contrib/start-scripts/linux /etc/init.d/postgresql
$ chmod +x /etc/init.d/postgresql

12º Passo – Configurando o arquivo

  • Abra o arquivo no editor de texto
  • Edite a linha 32 trocando seu conteúdo de prefix=/usr/local/pgsql para prefix=/usr/local/postgres
  • Edite a linha 35 trocando seu conteúdo de PGDATA=”/usr/local/pgsql/data” para PGDATA=”/usr/local/postgres/data”
  • Edite a linha 60 trocando seu conteúdo de DAEMON=”$prefix/bin/postmaster” para DAEMON=”/usr/bin/postmaster”
  • Edite a linha 63 trocando seu conteúdo de PGCTL=”$prefix/bin/pg_ctl” para PGCTL=”/usr/bin/pg_ctl”
  • Salve o arquivo

13º Passo – Testando o arquivo

Ainda como root digite os seguintes comando para verificar se o arquivo esta correto:

$ /etc/init.d/postgresql status
$ /etc/init.d/postgresql stop
$ /etc/init.d/postgresql start
$ /etc/init.d/postgresql restart

14º Passo – Iniciando automaticamente

Edite o aqrquivo /etc/rc.local adicionando a seguinte linha:
/etc/init.d/postgresql start

15º Passo – Testando novamente

Agora basta reinicar a sessão e repetir o 10º Passo.

Obs: Caso tenha problemas na instalação verifique se há um compilador C instalado corretamente.

CCT especial de Natal

Neste sábado teremos o Café com Tapioca do CEJUG especial de Natal. Pela manhã teremos um mini-curso de JavaME e Android com o Vando Batista do C.E.A.S.A.R. A tarde duas palestras sobre Soluções JBoss e Seam com o João Paulo Viragine da Red Hat.

Abaixo a imagem do Duke criada pelo Silveira para o evento:

Post do Silveira Neto sobre o evento.

Post do Rafael Carneiro o evento.

Site oficial do evento.

Liberado NetBeans 6.5

Foi lançado hoje a versão final do Netbeans 6.5, um dia antes do previsto, e já pode ser baixada em diversos idiomas inclusive o Português.

Clique aqui e veja o que há de novo nessa versão e faça o download.

Alessandro Dourado em seu blog já havia escrito sobre as novidades dessa versão. Caso queira conferir clique aqui.

Quartz na Java Magazine nº 60

Este mês na Java Magazine nº 60 escrevi um artigo onde apresento o Quartz, um framework leve e simples para agendamento de tarefas em aplicações Java web ou desktop. Mostro como é fácil aprender a agendar tarefas de forma simples e rápida sem necessitar de muitos recursos do sistema operacional e hardware, utilizando um poderoso framework open-source escrito em Java.

Quartz é um framework open-source para agendamento de tarefas muito simples e flexível mantido pela família OpenSymphony de projetos, a mesma que mantém outros projetos como WebWork, OSCache, SiteMesh e OGNL. Ele foi projetado para oferecer várias opções de agendamento e possuir fácil integração com sistemas J2SE e J2EE, oferecendo grande flexibilidade sem sacrificar a simplicidade. O Quartz é distribuído em uma pequena biblioteca Java e vem sendo utilizado por grandes projetos como Jboss, Apache Cocoon, Spring e OS Workflow.

Utilizando o Quartz você será capaz de agendar tarefas de forma flexível, tendo acesso a várias opções de agendamento sem sacrificar a simplicidade. Quer saber mais? Corra… já está nas bancas!