JustJava 2008 – Primeiro dia

Entre os dias 09 e 13 de Setembro estive em São Paulo pela Fortes Informática para o JustJava 2008. O evento foi um sucesso e vou falar um pouco de como foi o primeiro dia com um resumo de cada apresentação que participei.

Keynote
Bruno Sousa – Sun Microsystem
O evento foi aberto com a nóticia de que este ano seria o maior já realizado contando com 54 palestras, 03 debates e 14 workshops, sem falar das muvucas que são organizadas no final de cada dia. Em seguida foi apresntado um resumo do Java One deste ano, depois a nova roupagem que foi dada aos applets e um caneta com a JVM capaz de reconhecer texto, gravar o que se fala ao escrever, traduzir textos e outras cosinhas legais. No final ele agradeceu ao patrocinadores e deu como aberto oficialmente o evento.

Keynote
Marden Neubert – UOL
Foi apresentado a experiência de quase dez anos da UOL com Java. A apresentação focou bastante na metodologia de desenvolvimento mostrando como sairam do nada, passaram pelo formal com RUP e chegaram ao ágil com Scrum e XP.

Integrando o futuro: JBoss Seam e Spring Framework
Alberto “Spock” Lemos – Globalcode
Spok começou falando das vantagens do Seam e depois das vatagens do Spring. Por diversas vezes falou, “não usem EJB…”, desmonstrando como é fácil, produtivo e robusto usar o Seam compartilhando recursos com o Spring e este gerenciando os POJOS responsáveis pelas regras de negócio.

Domain-Driven Design
Sérgio Lopes – Caelum
Domain Driven Design é sem dúvida a abordagem de desenvolvimento de software mais falada no momento. Ele falou como aplicar as boas práticas de Orientação a Objetos, escrever código próximo do domínio do cliente e entregar software que efetivamente resolva o problema. A apresentação foi muito divertida e abordou os conceitos fundamentais do DDD de forma prática discutindo inclusive alguns tópicos mais avançados e polêmicos envolvendo conceitos como entidades, repositórios, value objects e outros.

OpenSource SOA: Reais maneiras de trazer esta cultura para sua empresa
Edgar Silva – JBoss
A apresentação focou em muita prática sobre aspectos gerais que englobam SOA numa perspectiva de tecnologia opensource, mostrando ao invés de teoria, aspectos práticos de integrações de sistemas com o advento de ESBs, trazendo a realidade da necessidade de termos o uso de orquestração via BPM e Engine de regras, além de um exemplo usando de integração usando REST, outro com FileSystem e um até com sistemas legados. No final foi mostrado algumas soluções que aderiram a SOA primeiramente adquirindo cultura, isto sendo permitido pelo advento do OpenSource, ou seja, fazendo com que as empresas utilizassem tecnologias e modelos arquiteturais funcionais,antes de terem que realizar qualquer gasto ou investimento desnecessário.

Programação Orientada a Aspectos Dinâmica e Sistemas Adaptáveis
Flavia Rainone – JBoss
Foi demostrado que a programação orientada a aspectos dinâmica consiste em adicionar e remover aspectos de um sistema em tempo de execução. Aspectos são unidades de programação que encapsulam funcionalidades ortogonais, como transação, segurança, logging, entre outros. A adição e remoção dessas unidades em tempo de execução permitem a evolução dinâmica de um sitema, no qual suas funcionalidades ortogonais são alteradas ao longo do tempo. A principal aplicação desse recurso é a evolução e a manutenção de sistemas que não podem ser desligados ou reinicializados com freqüência. Assim, é possível não somente adicionar novos requisitos ao sistema, como também corrigir pequenas falhas e erros, tornando-o adaptável.

JavaSE 7 e o futuro da linguagem Java
Michael “Mister M” Nascimento – Summa Technologies
Com a recente ênfase na JVM como uma plataforma para várias linguagens e a difusão do conceito de “programador poliglota”, muitas incertezas surgiram com respeito à evolução da linguagem Java e mesmo se ainda faz sentido alterar uma linguagem tão “antiga” e amplamente utilizada. Durante a palestra, Mister M abordou as novas funcionalidades propostas para o Java SE 7, a possibilidade de implementação de alterações polêmicas, como closures e o que esperar da linguagem Java no futuro.

RESTfull Web Services
Rafael Pereira Nunes – Instituto Metodista de Ensino Superior
Foi demostrado como o REST é a resposta a complexidade e burocracia desnecessária para a integração de sistemas. Ele é uma forma simples, descomplicada e eficiente de integrar aplicações -seja gerando serviços ou consumindo-os – utilizando a web como plataforma, porém sem dificultar a vida de ninguém.