Orkut em Java?

Sei que é nóticia velha mas acho que nem todo mundo tá sabendo…

Texto copiado do blog Go-Java:

Aos utilizadores da rede de relacionamento Orkut, em entrevista a Info Online , o sr. “Orkut” conta porque passou de .Net para Java… Se voce utiliza o Orkut acho que já notou que a famosa msg “No donuts for you” e os milhares de links quebrados estão BEM menores e para algumas pessoas como eu que nao uso muito eles simplesmente desapareceram… o que a Microsoft tem a dizer sobre isso ? será que o .Net não é assim tããããão Enterprise?

“No Brasil, o Orkut Buyukkokten é celebridade. Nos Estados Unidos, na sede do Google, não se pode dizer que a vida dele anda difícil. Depois de trabalhar 80 horas por semana para colocar o Orkut de pé, ele ganhou uma equipe completa e agora só trabalha… algo entre 40 e 50 horas por semana.

Ontem, aqui na Abril, nós conversamos com o Orkut umas duas horas. Ele contou que criou o site de relacionamentos em .Net – gosta particularmente de C# pela rapidez de programação – mas teve de passar para Java por ter a escalabilidade necessária. A passagem de uma tecnologia para a outra durou um ano – daí as 80 horas por semana.

Orkut não demonstra qualquer rigidez em relação às escolhas tecnológicas. Usa Mac, Firefox, Photoshop, Illustrator, Dreamweaver… Engenheiro de software, ele garante que o Google é uma empresa de tecnologia, não de mídia, apesar de ganhar dinheiro com publicidade. Quem dá o tom no Google, diz ele, são os engenheiros. Bom para ele… e talvez para nós também! “

Muitos devem se perguntar quanto a extensão da páginas que continua “.aspx”. Imagine a quantidade de pessoas que teriam que mudar seus bookmarks? No Java você pode escolher que extensão utilizar configurando o servlet-filter. O GUJ por exemplo usa “.java”, o JavaFree “.jf”, eu uso bastante “.action” mas usei por muito tempo “.do” e assim vai.

Link para a máteria na Info no Blog da Sandra Carvalho no dia 10/04/2007

Teste seus conhecimentos em Java brincando

Visitando hoje o JavaRanch achei um joguinho que visa testar seus conhecimentos em java. São feitas perguntas (em inglês) que conforme você vai acertando as respostas, você vai conseguindo levar o gado para dentro do cercado, no final das fases ele mostra o seu resultado dizendo se você tem habilidade ou não em guiar o gado.

Para aqueles que já conhecem a linguagem e buscam fazer a certificação, devem saber que há muitos itens na prova que são famosas “pegadinhas”. Essa dica é muito útil para entender muitas sintaxes e funcionamento da linguagem.

Para acessar diretamente o jogo(teste) clique aqui.

Atualizando data e hora no linux

Hoje precisei atualizar a data e hora em um servidor linux na empresa. Para fazer isso os comandos são muito simples:

Atualizar a data
$ date -s ‘yyyymmdd’
Onde ‘yyyy’ corresponde ao ano, ‘mm’ o mês e ‘dd’ o dia.

Atualizar a hora
$ date -s ‘hh:mm:ss’
Onde ‘hh’ corresponde a hora de 00 a 23, ‘mm’ o minuto e ‘ss’ os segundos.

Espero ter ajudado.

Instalação e configuração do PostgreSQL no linux

Receita de bolo para instalação e configuração do PostgreSQL 8.1 no linux.

1º Passo – Download

ftp://ftp.br.postgresql.org/pub/mirrors/postgresql/source/v8.1.3/postgresql-8.1.3.tar.bz2

2º Passo – Descompacte o pacote

$ tar -xjvf postgresql-8.1.3.tar.bz2

3º Passo – Acesse o diretório

$ cd postgresql-8.1.3

4º Passo – Configuração e compilação

$ ./configure –prefix=/usr/local/postgres –bindir=/usr/bin –sysconfdir=/etc/postgres
$ make

5º Passo – Instalação

$ su
$ make install

6º Passo – Criando grupo e usuário

$ groupadd postgres
$ adduser postgres -g postgres

7º Passo – Criando diretório para os dados

$ mkdir /usr/local/postgres/data
$ chown postgres.postgres /usr/local/postgres/data

8º Passo – Inicializando o banco

$ su – postgres
$ initdb -D /usr/local/postgres/data

9º Passo – Rodando o postgres em segundo plano, gravando logs

$ postmaster -D /usr/local/postgres/data >> /usr/local/postgres/data/logfile &

10º Passo – Testando

$ psql template1 postgres

Caso tenha conectado digite \q para sair.

11º Passo – Copiando arquivo de inicialização

Vá ao diretório onde o PostgeSQL foi descompactado e copie o arquivo chamado “linux” que esta na pasta ./contrib/start-scripts para /etc/init.d/ renomeando para postgresql dando permissão para execução.

$ su – root
$ mv ./contrib/start-scripts/linux /etc/init.d/postgresql
$ chmod +x /etc/init.d/postgresql

12º Passo – Configurando o arquivo

  • Abra o arquivo no editor de texto
  • Edite a linha 32 trocando seu conteúdo de prefix=/usr/local/pgsql para prefix=/usr/local/postgres
  • Edite a linha 35 trocando seu conteúdo de PGDATA=”/usr/local/pgsql/data” para PGDATA=”/usr/local/postgres/data”
  • Edite a linha 60 trocando seu conteúdo de DAEMON=”$prefix/bin/postmaster” para DAEMON=”/usr/bin/postmaster”
  • Edite a linha 63 trocando seu conteúdo de PGCTL=”$prefix/bin/pg_ctl” para PGCTL=”/usr/bin/pg_ctl”
  • Salve o arquivo

13º Passo – Testando o arquivo

Ainda como root digite os seguintes comando para verificar se o arquivo esta correto:

$ /etc/init.d/postgresql status
$ /etc/init.d/postgresql stop
$ /etc/init.d/postgresql start
$ /etc/init.d/postgresql restart

14º Passo – Iniciando automaticamente

Edite o aqrquivo /etc/rc.local adicionando a seguinte linha:
/etc/init.d/postgresql start

15º Passo – Testando novamente

Agora basta reinicar a sessão e repetir o 10º Passo.

Obs: Caso tenha problemas na instalação verifique se há um compilador C instalado corretamente.