Top 6 of top 10 Lists by Coding Horror

Ontem no trabaldo recebi um email do Fred de Castro onde le fez a tradução de um post do Coding Horror. Clique aqui e acesse o post original e abaixo segue a tradução.

Jerry Weinberg: Os 10 Mandamentos da Programação sem Ego

  1. Entenda e aceite que você irá cometer erros;
  2. Você não é o seu código;
  3. Não importa quanto “Karatê” você sabe, sempre haverá alguém que sabe mais que você;
  4. Não reescreva código sem orientação;
  5. Trate as pessoas que sabem menos que você com respeito, consideração e paciência;
  6. A única constante no mundo é a mudança;
  7. A verdadeira autoridade nasce do conhecimento, não da posição;
  8. Lute pelo que acredita, mas aceite a derrota com elegância;
  9. Não seja “o cara na sala”;
  10. Critique o código ao invés da pessoa – seja gentil com o programador, não com o código.

Dare Obasanjo: Os 10 Sinais de Que Seu Projeto Está Condenado

  1. Tentar fazer muita coisa na primeira versão;
  2. Criar uma funcionalidade crítica usando uma tecnologia não comprovada;
  3. Competir com um projeto interno que já existe e que tem ótimo retorno ou tem patrocinadores poderosos;
  4. A equipe tem menos pessoas que o necessário;
  5. “Problemas complexos requerem soluções complexas”;
  6. Prazos irreais;
  7. Mudanças descontroladas no escopo do projeto;
  8. Sindrome do segundo sistema “Second System Syndrome”;
  9. Não ter estratégia de entrada no mercado;
  10. Ficar travado em um problema que você não sabe como resolver.

Omar Shahine: As 10 Dicas Para Trabalhar na Microsoft(ou em qualquer outro lugar)

  1. Processo não é substituto para raciocínio;
  2. Saia do seu escritório;
  3. Use seu produto(o que seus clientes irão usar);
  4. Conserte as coisas que estão quebradas ao invés de reclamar por elas estarem quebradas. Ações falam mais que suas reclamações;
  5. Faça um problema difícil parecer fácil. Não faça problemas fáceis parecerem difíceis;
  6. Use a ferramenta de comunicação correta para o serviço;
  7. Aprenda a cometer erros;
  8. Mantenha as coisas simples;
  9. Adicione valor sempre;
  10. Use o produto dos outros.

Michael McDonough: As 10 Coisas que Nunca me Ensinaram na Escola de Design

  1. Talento é um-terço na equação do sucesso;
  2. 95 por cento de qualquer profissional criativo é trabalho;
  3. Se tudo é igualmente importante, então nada é muito importante;
  4. Não pense demais sobre um problema;
  5. Comece com o que você sabe; então remova o que você não sabe;
  6. Não esqueça seu objetivo;
  7. Quando você joga seu peso para os lados, você geralmente cai da balança;
  8. A estrada para o inferno está cheia de boas intenções; ou, nenhuma boa ação sai impune;
  9. Tudo isto vai aparecer no final;
  10. O resto do mundo importa.

Andres Taylor: As 10 Coisas que Aprendí em Dez Anos como Proffisional em Desenvolvimento de Software.

  1. Orientação a objetos é mais difícil do que você pensa;
  2. A parte difícil no desenvolvimento de software é a comunicação;
  3. Aprenda a dizer não;
  4. Se tudo é igualmente importante, então nada é importante;
  5. Não pense demais sobre um problema;
  6. Mergulhe realmente fundo em algo, mas não fique preso;
  7. Aprenda sobre as outras partes da máquina de desenvolvimento de software;
  8. Seus colegas são seus melhores professores;
  9. Tudo isto vai terminar no programa em produção;
  10. Algumas pessoas são idiotas.
Be Sociable, Share!

3 comentários em “Top 6 of top 10 Lists by Coding Horror”

  1. Muito legal mesmo. Quase todos os ítens são interessantes, mas se eu tivesse que destacar alguma coisa, seria a importância da humildade intelectual.

    Os melhores profissionais tecnicamente que eu conheci têm uma postura humilde em relação aos seus próprios conhecimentos. Quando um profissional experiente consegue se manter tão empolgado como um iniciante, certamente ele se manterá muito acima da média. Por outro lado, odeio ver arrogância em caras que nunca construíram mais do que brinquedos de fim de semana.

    Post bem legal, gostei muito.

  2. Gostei do post.
    Também achei interessante a parte de humildade.
    Acho mais válido dizer: “Não sei de nada, mas na hora tento fazer o melhor possível” do que: “Eu sei X, Y, Z…”

    Ou seja o bom profissional não “sabe” de nada mas procura resolver problemas, enquanto o profissional que se acha “o cara” só conta vantagens de coisas que um dia não vão servir pra nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *